Autor : Ana Clara Candelária Cucick CRN3: 43581

Bastante evidenciado nos últimos tempos e intensamente pesquisados por muitos cientistas ao redor do mundo, os probióticos, cujo termo de origem grega significa ‘para a vida’, promovem efeitos benéficos para a saúde humana.

Foi no inicio dos anos 90, que se popularizou, quando o pesquisador Metchnikoff  definiu como” modificação da diversidade microbiana no corpo humano, substituindo os micro-organismos prejudiciais por benéficos.”

O pesquisador Henry Tissier foi responsável pelos avanços posteriores, observando que a concentração de um certo tipo de bactéria nas amostras de fezes de crianças com diarreia foi significantemente menor do que a encontrada nas fezes de crianças saudáveis, sugerindo que a administração oral de organismos benéficos para pacientes com diarreia restaura o ambiente intestinal fazendo com que se recupere mais rapidamente. Hoje, sabe-se que os benefícios vão muito além; incluem desde redução do colesterol, aumento da imunidade, efeito anti-inflamatório, entre outros.

De acordo com a atual definição da Organização Mundial da Saúde (OMS), probióticos “são micro-organismos vivos que quando administrados em adequadas quantidades conferem um beneficio à saúde do hospedeiro”. Para se considerar um micro-organismo como probiótico, é necessário uma serie de estudos e testes que o identifiquem, garanta sua eficácia através de estudos em humanos.  Os principais grupos de micro-organismos probióticos são os gêneros Lactobacillus (L. plantarum, L. paracasei, L. acidophilus, L. casei,  L.bulgaricus) e Bifidobacterium (B. longum, B. breve, B. animalis).

São normalmente encontrados em alimentos como iogurtes, leites fermentados, picles, pão de levedura e Kombucha (chá fermentado). Pode ser encontrado também como suplementos em farmácias.

Veja 5 maneiras de melhorar sua saúde com probióticos:

  1. Imunidade

Os probióticos possuem a importante propriedade de proteger nosso organismo contra micro-organismos patogênicos, aqueles que nos causam doenças. Isso ocorre por diversos mecanismos, dentre eles: produção de substâncias antimicrobianas que agem contra as bactérias patogênicas, melhora da integridade da barreira intestinal, redução da translocação bacteriana (impedem a passagem de bactérias do intestino para outras partes do corpo), impedem a produção de substâncias pró-inflamatórias, dentre outros mecanismos.

  1. Redução do Colesterol (Efeito Hipocolesterolêmico)

O aumento do LDL-colesterol (colesterol ruim) é um problema muito comum entre a população e tal aumento está associado a doença cardiovascular aterosclerótica. Dessa forma, manter o LDL-colesterol dentro dos níveis adequados é de extrema importância para a saúde e os probióticos podem auxiliar nisso. Diversas pesquisam descobriram que alguns tipos específicos de probióticos, como Lactobacillus. casei, Lactobacillus acidophilus e Bifidobacterium longum possuem está propriedade. Eles atuam de modo a deixar o colesterol menos disponível para a absorção pelo organismo através de alguns mecanismos como desconjugação de sais biliares, absorção de colesterol e ácidos graxos na superfície celular dos micro-organismos e produção de AGCC (ácidos graxos de cadeia curta).

  1. Efeitos contra obesidade e diabetes

Sabe-se que a obesidade está diretamente relacionada com o desenvolvimento de doenças crônicas não  transmissíveis (DCNT) como a diabetes tipo 2 e dados recentes vêm demonstrando um aumento do número de obesos e sobrepesos na população. Neste contexto, foi encontrada relação entre a microbiota intestinal e a   obesidade, a partir de evidências de que a microbiota intestinal de indivíduos magros possuí uma proporção de micro-organismos diferente da encontrada em obesos. Destaca-se um estudo realizado com ratos, onde    foi transplantada a microbiota intestinal de ratos obesos em ratos magros e estes começaram a desenvolver obesidade. Observou-se também que a cepa probiótica Lactobacillus gasseri BNR17 foi capaz de inibir o aumento do tecido adiposo. Além de auxiliar no combate a diabetes tipo 2 pelo efeito na obesidade,  a intervenção com probióticos e prebióticos é uma estratégia para controle da diabetes tipo 2 através da modulação dos hormônios intestinais.

  1. Efeitos anti-carcinogênicos

O câncer é uma doença que vem afetando muitas pessoas ao redor do mundo e com alto índice de mortalidade. Estudos in vitro têm demonstrado que os probióticos possam ter um papel significativo neutralizando o câncer. Recentes pesquisam apontaram que as cepas probióticas, Lactobacillus fermentum NCIMB-5221 e -8829, têm efeito na supressão de células de câncer colorretal e promoção do crescimento de células epiteliais normais do cólon através da produção de AGCCs (ácido ferúlico). Outros estudos também encontraram este efeito em outras duas cepas probioticas L.acidophilus e L. rhamnosus. Recente pesquisa feita in vitro encontrou ação antiproliferativa (impede a multiplicação) contra duas linhagens celulares de câncer colorretal, por outras duas cepas (L. acidophilus LA102 e L. casei LC232) . Entretanto, as pesquisas ainda estão limitadas  aos testes in vitro, o potencial anti-câncer dos probióticos deve ser comprovado em modelos in vivo e prosseguir para ensaios clínicos e animais.

  1. Atividade anti-inflamatória

Doença de Crohn e colite ulcerativa  estão entre as doenças crônicas inflamatórias do intestino mais comuns. A origem destas doenças têm sido associada a um desequilíbrio na microbiota intestinal e o uso de probióticos, simbióticos e prebióticos tem papel fundamental no equilíbrio da flora intestinal e no combate a estas enfermidades, principalmente pela produção de AGCC que possuem propriedades ant-inflamatórias.

Além de, em adequadas quantidades promover benefícios, a diminuição desses micro-organismos  na microbiota intestinal, aliado a um aumento de bactérias patogênicas, acarreta em desequilíbrio na flora intestinal. Tal desequilíbrio está associado ao desenvolvimento de obesidade, inflamação sistêmica e outras comorbidades metabólicas. Manter uma microbiota intestinal saudável através de uma alimentação equilibrada é a chave para viver melhor e com mais qualidade.

 

Referências

KERRY, R.G et al. Benefaction of probiotics for human health: A review. Journal of food and drugs analisys, 2018.

YOON, J.S. et al. Effect of multispecies probiotics on irritable bowel syndrome: A randomized, double-blind, placebo-controlled trial. Journal of Gastroenterology and Hepatology, 2014.

 

IVEY, K.L. et al. The effect of yoghurt and its probiotics on blood pressure and sérum lipid profile; a randomised controlled trial. Nutrition, Metabolism & Cardiovascular Diseases, 2015.

 

ROSKAR, Irena. Effects of a probiotic product containing Bifidobacterium animalis subsp.animalis IM386 and Lactobacillus plantarum MP2026 in lactose intolerante individuals: Randomized, placebo-controlled clinical trial. Journal of functional foods, 2017